Exames para Anemia Infecciosa Equina e Mormo são obrigatórios

Medida é para o trânsito interestadual, participação em eventos e levantamentos sorológicos de equídeos

Os criadores de equídeos precisam estar atentos e preparados ao transportar e/ou vender seus animais, pois é necessária a realização de exames de diagnóstico de duas importantes doenças: AIE (Anemia Infecciosa Equina) e Mormo.

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

SIGA NOSSA PÁGINA NO INSTAGRAM

De acordo com a gerente de Operações Industriais da SANPHAR/IPEVE, Adrienny Reis, para ter validade perante os órgãos oficiais de sanidade animal estes exames só podem ser realizados em laboratórios credenciados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). “Um criador não pode transportar ou comercializar equídeos (equinos, asininos e muares) sem a comprovação de que sejam negativas estas duas doenças”.

Para a realização dos exames, o criador deve contar com a consultoria de um médico veterinário inscrito no Conselho Regional de Medicina Veterinária de sua respectiva Unidade Federativa para AIE.

Dessa forma, no caso de Mormo, o médico veterinário também deve ser  habilitado no órgão de defesa sanitária de sua região.  Esse profissional fará a coleta de sangue e enviará ao laboratório. A validade de cada análise é de 60 dias a partir da data da colheita do soro.

Diagnóstico é obrigatório e vital
Mormo é uma doença infectocontagiosa de curso agudo ou crônico, muitas vezes fatal, causada pela bactéria Burkholderia mallei, que acomete principalmente os equídeos, podendo também infectar o homem (zoonose). O mormo pode ou não vir acompanhado de sinais clínicos e não há tratamento eficaz para eliminação do agente nos animais portadores.

A AIE (Anemia Infecciosa Equina) é uma doença infecciosa causada por um Lentivirus, podendo apresentar-se clinicamente sob as formas aguda, crônica e subclínica. A doença é caracterizada por episódios de febre recorrente, trombocitopenia, anemia, perda de peso rápida e edema dos membros inferiores. Contudo, os equídeos podem ser portadores do vírus sem a apresentação de sinais clínicos.

Fonte: SANPHAR/IPEVE
Foto: Divulgação/Pexels